Dança de Salão
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

"Preencha de vida sua dança e preencha de dança sua vida" - Luís Florião. . . Falando, dançando e cuidando da Dança a Dois. . . Samba, lambada, forró e tudo mais. A prática, a teoria, a arte e a política. Viva a nossa arte. . . contato: floriao@ig.com.br

Quarta-feira, Maio 19, 2004
SONHO: É A UNIÃO GERMINANDO E JÁ DANDO FRUTOS.




O QUE É O BRASIL A DOIS?


O evento ¿Brasil a Dois¿, realizado no fim de setembro de 2003, foi sob muitos aspectos uma iniciativa inovadora e corajosa: propunha unir profissionais de todo o país numa ação positiva de divulgação da dança de salão com o objetivo primordial de fazer com que a sociedade venha a conhecê-la melhor, libertando-a de olhares carregados de clichês e pré-conceitos.

Foram organizadas palestras, aulas abertas, exposições, bailes, enfim, toda uma série de atividades, em sua maioria gratuitas e abertas a todos. Espaços públicos como faculdades, rodoviárias, shoppings, praças, cruzamentos etc transformaram-se em palcos para o que é a dança a dois hoje, que se expôs em suas manifestações, costumes e estilos. Professores, dançarinos e adeptos saíram ao ar livre para mostrar sua cara, seu jeito, sua arte.

A união imprescindível mostrou-se mais próxima do que muitos imaginavam. O ¿Brasil a Dois¿ deu ensejo para a criação de mais duas entidades locais: a Associação de Dança de Salão de Uberlândia (ADSU) e a Associação Gaúcha de Dança de Salão (AGADS). Importantes passos no sentido de que a desejada Associação Nacional do setor possa realmente nascer forte e representativa, capaz de atender aos anseios de uma classe que luta por seu lugar em nossa sociedade.

A participação de treze estados: Acre, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo demonstrou o enorme potencial de trabalho e participação dos artistas Brasil a fora. E há que se levar em consideração que o evento foi realizado sem nenhum real patrocínio, os apoios conseguidos foram até muito significativos, mas não houve verba para a divulgação da iniciativa, foi tudo praticamente feito via internet e boca-a-boca. A partir disto, pode-se notar que a quantidade, variedade e qualidade das ações inscritas foi entusiasmante: 24 palestras, 97 aulas ou oficinas, 88 apresentações, 01 concurso, 17 bailes, 08 projeções de filmes com temática de dança, participações em 02 programas de rádio, 01 maratona de dança e 07 exposições. Além de participações na TV: 01 programa da TVE nacional (com Carlinhos de Jesus), 01 programa em Minas, 01 em Goiás.



BRASIL A DOIS ¿ A MOBILIZAÇÃO CONTINUA



Campanha de divulgação da dança de salão tem continuidade em nova fase. Iniciado em setembro de 2003, o Brasil a Dois promoveu uma semana nacional de difusão da arte dos salões, a Semana da Divulgação da Dança de Salão, onde escolas de todo país deram asas à imaginação e inventaram formas criativas de mostrar ao público esse tipo de dança, como ele é praticado atualmente, livre das estereotipias e pré-conceitos que muitas vezes cerceiam seu progresso.

Esta semana deverá ser repetida bienalmente, mas durante os intervalos, outras ações serão propostas com o mesmo fim. Para junho está prevista uma campanha visual com a distribuição de material promocional e afixação de faixas em locais estratégicos.

Todo este trabalho, além de aportar, de forma unida e organizada, a divulgação institucional da dança de salão e assim aproximar a sociedade, disseminar o conhecimento e angariar respeito por esta arte tão autêntica e prazerosa, pretende ainda fomentar a união dos profissionais e o apoio à Associação Nacional de Dança de Salão - Andanças.

A direção do projeto fornece a arte dos impressos e conecta as escolas de forma nacional, cada participante é responsável apenas por seu material de divulgação, mas a tendência é que a compra seja consorciada, como está acontecendo no Rio de Janeiro, de forma a abaixar os custos e facilitar a participação de mais e mais profissionais.

Os grupos interessados em unir-se a essa iniciativa devem procurar mais informações junto à direção do Brasil a Dois pelo endereço eletrônico (almad@dancecom.com.br), ou nos telefones (21) 2565 7330, 2284 0011.



PORQUE UMA ASSOCIAÇÃO?



A Dança de Salão chegou ao Brasil junto com a corte de D. João VI e se manteve como prática de lazer até nossos dias. A presença, consistência e apelo desta atividade é constatada, não só pelo aumento do número de escolas, academias, clubes e condomínios que oferecem aulas da modalidade, mas também pela evidência de suas qualidades culturais, sociais, e terapêuticas na melhoria na qualidade de vida dos praticantes.

A permanência da Dança de Salão em nossa sociedade ao longo dos anos deve-se principalmente à persistência de diferentes profissionais que, mesmo agindo isoladamente, mantiveram viva essa arte. O trabalho foi árduo, cheio de dificuldades, enfrentando preconceitos e estereótipos, sendo de valor inestimável e que não pode ser perdido. Para isso há lacunas a preencher, em especial, questões como a falta de reconhecimento como arte, lazer, atividade física ou terapia. A sociedade em geral ainda não tem ciência da real atuação e representatividade da dança de salão nessas áreas. Embora faça parte da história cultural de nosso povo, a atividade não é conhecida em sua plenitude, especialmente pelos mais jovens, o que põe em risco a perpetuação de uma genuína manifestação cultural nacional.

É necessário que se façam censos, pesquisas e ações que venham a identificar o número de praticantes e profissionais, suas formas de atuação, pontos de influência, etc. que efetivamente mensurem, de forma científica, o fenômeno das modernas danças sociais. Lacuna prestes a ser preenchida pela nova organização da classe, com vistas a fortalecer a Dança de Salão, obtendo o respeito enquanto arte, o reconhecimento como parte da cultura do nosso país e o futuro desenvolvimento organizado dos profissionais. É hora de buscarmos, dentro do aspecto legal e institucional a efetivação do nosso trabalho enquanto arte integrante e geradora de cultura. Criar um ambiente favorável ao engajamento comprometido de todos, respeitando a individualidade e processos artísticos de seus formadores, regidos pelo legítimo pensamento associativo.

A Dança de Salão se diferencia por não estar confinada às categorias de atividades de exercício físico, embora esteja interligada ao processo educacional nas áreas inter-relacionadas a Saúde, Educação do Movimento/Segurança, Lazer, Danças e Atividades ao ar livre. O aspecto lúdico e artístico da dança a dois a torna única e isso precisa ser difundido.









ANDANÇAS ¿ Perto da Instalação



Panorama
Embora seja desejo de grande parte dos dançarinos que a Dança de Salão se profissionalize mais, com melhores condições de trabalho, mais eventos de qualidade e ações de divulgação, acesso mais fácil ao aprimoramento profissional, maior reconhecimento etc., a classe ainda não havia reunido as condições para criar um órgão que pudesse lutar por seus interesses.

Neste primeiro semestre de 2004 , finalmente a Associação Nacional de Dança de Salão ¿ Andanças torna-se uma realidade e encontra-se em fase de registro legal, contando com um conselho consultivo formado por personalidades de importância e representatividade no trabalho pela dança de salão, são elas: Baby Mesquita (Associação Cultural Mimulus - BH ), Carlinhos de Jesus (coreógrafo e dançarino), Jaime Arôxa (coreógrafo e dançarino), Luís Florião (coreógrafo, professor, diretor do Jornal Dança, Arte & Ação, colunista da Revista da Dança), Marco Antonio Perna (responsável pelo projeto Salão Rio Dança e pelo portal Agenda da Dança de Salão Brasileira, escritor especializado) Milton Saldanha (diretor do Jornal Dance - SP), Rachel Mesquita (coreógrafa, professora de dança de salão e Educação Física) e Rita Jordão (Mestra em Educação e Ciência da motricidade humana, autora do projeto político pedagógico do curso superior de danças contemporâneas de salão).

Em resultado, grande número de pessoas já se declaram interessadas em ser sócios fundadores e delegados em seus estados. Antes mesmo de ter o registro legal do estatuto, a entidade já conta com cerca de quinhentas assinaturas de apoio colhidas entre profissionais e praticantes em todo território nacional. E prepara seu primeiro grande passo que será um grande mapeamento relatando a quantidade de adeptos da modalidade, incluindo pesquisa de extratos sociais a que pertencem, faixa etária e outras informações relevantes.






NO RITMO


No ritmo lento de nosso desenvolvimento, no constante galopar da crise econômica ou no rápido descontentamento geral?



Nada disso. Apesar de toda a crise que parece eterna no País, um segmento artístico consegue acelerar e dançar no seu próprio ritmo - A dança de salão. Revivida e renovada, com forte adesão do segmento jovem da sociedade, cresce e mostra-se como importante opção de lazer e de trabalho.



A cada dia, profissionais e adeptos se encarregam de derrubar estereótipos. É querida pela terceira idade, sim, por ser fonte de prazer, de baixo custo e por seu caráter integrador. Mas não é velha, no sentido pejorativo do termo. E os garotos descobriram isso na época da moda da lambada e mais recentemente dos bailes de forró, da nova lambada ao som de zouks e da salsa, onde canalizam energias para a diversão saudável, usando a linguagem corporal para dizer a que vieram.



O profissional de dança, antes visto apenas como um ¿pé de valsa¿ que sabia alguns passos, profissionaliza-se, exige-se e cobra respeito da sociedade. Mostra que é preciso estudo, dedicação e muita técnica para ensinar, apresentar-se, coreografar.



E tudo isso tem como resultado a expansão do mercado de dança. Cresce o número de escolas e academias, formam-se cada dia mais professores e dançarinos, e a procura por bailes dançantes é cada dia maior. Um filão cobiçado nesses tempos de vacas magras.



Iniciativas associativas com objetivo de dar maior visibilidade ao setor, obter patrocínio e espaço na mídia tem sido uma constante. Registra-se a formação de várias associações estaduais (Minas, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina) e a Associação Nacional de Dança de Salão ¿ Andanças encontra-se em fase final de implantação e já inicia um mapeamento inédito no gênero, na busca de criar um censo e ter a real dimensão deste segmento.



Importante ainda falar da nova etapa do projeto Brasil a Dois, já em andamento, que pretende unir a classe em um movimento de divulgação maciça da dança de salão, lançando mão de vários recursos de marketing.



O sucesso da dança de salão pode ser atribuído ao esforço dos empresários e profissionais da área que tem mostrando grande empenho em superar-se e adequar-se as demandas de mercado, abrindo novas frentes de atuação, levando a dança para os palcos, avenidas e grandes eventos.



Deve-se ainda a uma equação brilhante: a dança de salão é basicamente a única arte que conjuga atividade física, lazer, contato social e benefícios psicológicos com preço muito acessível, de fácil aprendizado, sem exigir espaços ou equipamentos sofisticados, indicados para todas as idades e aceito em todos os extratos sociais.



A dança de salão só não é um negócio da China, por que eles lá, ainda não são bons de samba, forró, lambada, salsa...


posted by LUÍS FLORIÃO 11:48 AM
. . .
Domingo, Maio 09, 2004
Divulgamos a segunda fase do projeto Brasil a Dois, que visa difundir nacionalmente a dança de salão.

Peço a gentileza de confirmar seus dados, basta responder passando seu nome, cidade e informando qual é a sua ligação com a dança a dois. Pretendemos fazer um grande mapeamento de nosso meio e em breve distribuiremos fichas de censo.

Se você é amante da cultura, e tiver interesse, pode participar de muitas formas: precisamos de patrocínios e apoios que podem ser vários: material, serviços (arte finalista, web designer, captador, assessor de imprensa etc.), reenvio à pessoas que lidem com dança de salão, repasse de contatos de pessoas ligadas à área, sugestões, espaços para divulgar o projeto e tudo mais que venha à sua mente.

Certo que precisamos de mais acesso à cultura, em especial à dança, nesse país onde o conhecimento é tratado como se fosse supérfluo, envio abaixo um resumo do projeto e antecipadamente agradeço,



Luís Florião
Saiba mais sobre a Andanças - Associação Nacional da dança de Salão: dancecom.com.br/cbds
Contatos: (almad@dancecom.com.br), (21) 22840011, 25657330 e 25687823.

Participe do Brasil a Dois e divulgue sua escola



Cervejas e celulares são campões de venda, supermercados já fazem parte de nossa vida, e carro é o sonho de consumo da maioria. Apesar da grande demanda as empresas insistem no marketing pesado: anúncios em jornal, televisão, patrocínios, eventos, divulgação na Internet, outdoors, adesivo, brindes, etc. É um desfile infindável de maneiras e tentativas de cativar e prender o público.

Se a propaganda é a alma do negócio, por que nós, profissionais da dança, não investimos em nosso produto? Por que temos tão pouca visibilidade? Rapidamente temos a resposta: nossa realidade não permite, os custos são impeditivos e só nos resta lançar mão da criatividade e fazer pequenas e modestas investidas em mercados restritos.

É uma verdade. Mas uma verdade que não levou em conta o peso e o poder da parceira, da associação. É essa lacuna que o Brasil a Dois pretende preencher propondo ações permanentes que terão como base a união de todos na obtenção do objetivo comum ¿ a divulgação da dança a dois. Assim teremos boas perspectivas de mercado e desenvolvimento econômico financeiro para nossos empreendimentos, escolas, etc. É importante ainda frisar que, dependendo do produto ou serviço, o volume ou quantidade são determinantes do preço, desta forma a aquisição conjunta barateará o custo para todos.

Quais são nossas propostas imediatas?

Confeccionar adesivos, botons, panfletos, faixas ou cartazes, camisas ou qualquer outro material promocional que incentive a prática da dança de salão que poderá ser distribuído ou vendido;
Todo o material e ações desenvolvidos deverão conter a frase da campanha (Dança a dois é tudo de bom. Pratique!), a marca do Brasil a Dois, o nome e o telefone da escola que está participando.


(Segue em anexo um modelo de arte de adesivo de carro que pode ser utilizado, trocando o nome da escola que consta no rodapé.)





O Brasil a Dois tem como objetivo promover, de forma unida e organizada, a divulgação institucional da dança de salão e assim aproximar a sociedade, disseminar o conhecimento e angariar respeito por esta arte tão autêntica e prazerosa.

Pretende ainda fomentar a união dos profissionais da dança e o apoio à Associação Nacional de Dança de Salão - Andanças. (que está em fase de implantação tendo a cidade do Rio de Janeiro como sede)



O projeto Brasil a Dois contempla três vertentes de atuação:



Ações conjuntas permanentes - Ações de cunho permanente visando ao reforço e consolidação da boa imagem da dança a dois no consciente coletivo. Independente de calendário, elas podem ser requeridas e implementadas a qualquer momento pelos interessados e mantidas indefinidamente.


Ações conjuntas periódicas - onde a categoria é convidada a promover e participar de eventos que tenham como objetivo divulgar de forma ampla a dança de Salão. A principal delas é a Semana de Divulgação da Dança de Salão, evento bienal de abrangência nacional, que teve sua primeira edição em 2003 e obteve significativa adesão (14 estados) com excelentes resultados.


Posturas profissionais - consolidação de um conjunto de normas de conduta que venham a estabelecer, informalmente, um código de ética que deverá pautar nossa atuação, garantindo assim respeito, prestígio e boa imagem para nossa categoria.
Saiba mais:

(almad@dancecom.com.br), (21) 22840011, 25657330 e 25687823.



posted by LUÍS FLORIÃO 2:27 AM
. . .
Domingo, Maio 02, 2004
Caros colegas, segue um guia rápido sobre a Andanças, a Associação Nacional de Dança de Salão. Peço que leiam com atenção, trata-se de uma dúzia de perguntas que freqüentemente nos são feitas e as respostas, contendo informação importante para quem vive a dança de salão brasileira. Não deixem de visitar a página: www.dancecom.com.br/cbds. Qualquer dúvida, estou à disposição.
Luís Florião





GUIA RÁPIDO SOBRE A ANDANÇAS



O que é a Andanças?

R. É a sigla da Associação Nacional de Dança de Salão, que visa unir os praticantes da dança de salão de todo país, profissionais ou não.

Para que serve?

R. A associação serve para divulgar a dança de salão, promover o intercâmbio e o aprimoramento profissional, realizar grandes eventos com os objetivos anteriormente citados, criar um código de ética e disseminá-lo, lutar de maneira organizada pelos interesses gerais da classe de dança de salão, fortalecer o mercado, preservar as características culturais e artísticas da dança de salão, com respeito à suas diferentes formas e manifestações.

Para ser associado tem que pagar?

R. Sim, será instituída uma anuidade a ser paga pelos associados. A expectativa é que seja um valor razoável para que de forma alguma a questão financeira seja impeditiva da participação de interessados.

O que eu ganho me filiando à Andanças?

R. A Andanças lutará pelo progresso da dança de salão como um todo, promovendo parcerias e ações que beneficiem seus associados, seja através de descontos em serviços, orientação geral, acesso às pesquisas realizadas, ou na promoção de projetos do interesse da classe. A principal vantagem de se associar, no entanto, reside no fato de ser possível participar das decisões do órgão através do voto, fazer parte dos grupos de trabalho e poder candidatar-se à diretoria, desta forma, o associado, pode participar mais efetivamente da construção de um futuro melhor para sua arte. É importante lembrar que hoje não existe nenhum órgão que defenda os interesses e fortaleça especificamente a categoria, que não tem qualquer representatividade, sendo assim, relegada a segundo plano em eventos, políticas culturais, etc.

Qual o risco de, sendo sócio, ser responsável por dívidas da Associação?

R. Nenhum. O registro legal da Andanças está sendo feito com a devida adequação ao novo código civil. Atendendo ao texto do capítulo I, artigo 46, inciso V que dispõe ser possível determinar em estatuto se os sócios devem ou não responder subsidiariamente pelas obrigações sociais. O estatuto inclui cláusula que especifica que os sócios não respondem subsidiariamente pelas obrigações sociais da Associação, em outras palavras, os sócios não são responsáveis pelas dívidas assumidas pela Andanças.

A Associação vai criar padronização de estilo e método de ensino além de definir quem pode dar aulas?

R. Não, uma padronização não respeita os objetivos próprios da associação que pretende preservar e respeitar a dança de salão em suas manifestações e diversidade. A Andanças dará condições de intercâmbio, mas cada um poderá seguir o estilo com que mais se identificar. A Andanças não se propõe em estatuto a ser órgão fiscalizador, mas sim, facilitador do progresso, buscando dar maior acesso à formação profissional completa e de qualidade aos associados interessados.

Como obter mais informações sobre a Andanças?

R. Acessando a página da internet (www.dancecom.com.br/cbds), no endereço eletrônico (almad@dancecom.com.br), pelos telefones (21) 2565 7330, 2284 0011 ou ainda através de correspondência para a Rua Carmela Dutra, 82 ¿ Tijuca ¿ Rio de Janeiro ¿ 20520-080.

Qual a situação atual da Associação?

Atualmente a Andanças está em fase final de registro civil, o que permitirá a formalização de associados. O estatuto foi escolhido através de plebiscito e encontra-se disponível na página (www.dancecom.com.br/cbds), que também definiu o conselho consultivo que é formado por personalidades de representatividade na dança de salão e que tem importante trabalho desenvolvido pelo progresso da mesma em diferentes áreas de atuação. Os conselheiros são: Baby Mesquita, Carlinhos de Jesus, Jaime Arôxa, Luís Florião, Marco Antônio Perna, Milton Saldanha, Rachel Mesquita e Rita Jordão. Neste momento estão sendo montados grupos de trabalho que objetivam traçar as estratégias de ação da Associação, de acordo com as necessidades e interesses da classe. Todos os interessados podem participar desses grupos, que tem a conselheira Rita Jordão como responsável. Os interessados devem também montar suas chapas e plataformas de ação, pois a eleição para a diretoria deverá ser realizada no início de 2005.

Quem pode se candidatar à diretoria?

Qualquer associado, em dia com suas obrigações.

E quem só agora ficou sabendo da Andanças e quer participar?

A idéia de formar uma associação é antigo desejo da classe. A partir do ano passado quando profissionais discutiram a efetivação do projeto, iniciou-se uma intensa campanha, através da internet, dos principais jornais especializados e também da divulgação em diversos eventos. Todos os procedimentos e etapas foram disponibilizados ao público em geral e decididos em votação. Por ser uma iniciativa sem fonte de recursos, sendo o custo absorvido pelos profissionais que a realizaram sabia-se que corria o risco de não atingir todos os profissionais da categoria e isso reforçou a já existente preocupação em estipular cláusulas no estatuto que sempre privilegiassem o tratamento amplo e democrático de todas as diretrizes da Andanças, permitindo assim que a medida em que mais pessoas tomem ciência do projeto e venham a associar-se, sempre seja respeitada a vontade da maioria.

Se eu discordar de algum dos itens do estatuto, é possível mudá-lo?

Após a eleição da diretoria haverá plenárias para redação do regimento interno e outras decisões. Nesta ocasião poderão ser sugeridas e aprovadas modificações no estatuto da Andanças.






posted by LUÍS FLORIÃO 5:20 PM
. . .


. . .